domingo, 24 de junho de 2007

Quietude...


Existem momentos na vida em que o silêncio e a quietude são fundamentais . Tornam-se quase uma regra , de tão essenciais ...

Muitas vezes, é necessário parar para fechar os olhos e perguntarmos a nós mesmos " É isto que eu quero ? " . É necessário parar para respirar e depois continuar o caminho possível ou escolhido . Não falo de voltar atrás ... Existem momentos e situações na vida para os quais não existe realmente maneira de voltar atrás . E existem pessoas imperdíveis , insubstituíveis .

Raras vezes o Amor é assim ... poderoso , arrebatador , não deixando de lado um único pedaço de nós , ocupando todo o tempo , todos os lugares, toda uma vida e todos os sonhos. Raras vezes encontramos alguém impossível de perder , de abrir mão .

Precisei de silêncio , de me afastar destas palavras tantas vezes dolorosas , precisei de pensar . A resposta eu sempre a soube ... Eu não quero esta situação . Mas quero tanto este Amor . Como nunca antes quis nada na minha vida .


Jamais pensei ser possível viver assim . E muitas vezes, pergunto-me mesmo como é que consigo acordar todos os dias para a realidade de amar alguém que não pode ser meu ... E não ceder , não desistir ...


Há dias , acordei com esta interrogação na minha mente : " Mas o que é que eu estou a fazer ? Ele nunca ficará verdadeiramente ao meu lado ... O que é que eu posso esperar ? " ... A resposta é vaga e fugidia , porque eu não quero ouvi-la até ao fim . Mas não posso mentir a mim própria ...


Não é um engano , nunca foi. Não é apenas amar por amar . Não é estar com alguém para não estar só . Não é apenas desejo ou paixão . É Amor ... puro , forte , honesto contra o qual ninguém soube lutar .


Reconheço a rara e maravilhosa oportunidade que a vida nos deu . Não a prova difícil e penosa, mas a beleza de saber o que é amar verdadeiramente . Dei o melhor de mim, dou o que sei e posso . Com carinho , com doçura , sem duvidar , sem me arrepender de qualquer gesto , de qualquer momento . Mas não sei o que mais esteja ao meu alcance para aceder à concretização de um futuro que seria lógico e certo . Nós ... juntos . Não depende de mim . E quando nada mais resta fazer a não ser aquietarmos o coração e ficar em silêncio , instala-se uma certa tristeza pela impossibilidade de agir , de avançar no caminho tão desejado . Não depende de mim ... Dependerá dele ?...


De ti , meu Amor . Que me lês e ouves com atenção . Que tomas cada frase minha no teu coração , mesmo quando elas te doem tanto . Dependerá de ti ? Ou a tua vida irá concretizar-se plenamente no que já estava estipulado há tanto tempo , no certo , no dever , no socialmente correcto , no que nunca mudará . Penso que sim . Nâo , não penso ... Sei que sim . Sei que não existirá outra realidade para nós .


Pergunto-me então porque permaneço ...

Pergunto-me se não mereço mais ...


Eu digo-te que sei que nada mudará ... E tu não me sabes dizer que estou enganada .

Tu dizes que achas que me vais perder ... E eu fico em silêncio , sem saber como contrariar essa afirmação ...


Queria dizer que saberei como ficar , mas seria mentira . Eu não sei nada. E sinto-me tão frágil e triste demasiadas vezes . Existe em mim uma luta permanente : Nâo posso viver contigo , não quero viver sem ti . Porque te amo tanto ...


Queria , meu Amor , acolher-te nos meus braços e nada questionar . Queria acolher-te com a ternura tão vasta que te tenho . Com a doçura de uma mulher que te adora e admira . Com o cuidado e a protecção de uma mãe que acolhe um filho que se sente perdido . Com a pureza deste Amor que nos une .


Falham todos os meus esforços para ser forte . E sei que apenas permaneço por tudo o que partilhamos . Pelo sentimento puro , pela cumplicidade e verdade da nossa relação .


Meu Amor , repito o que já disse . Digo tudo isto brandamente , com profundo afecto , com Amor imenso . E a brandura que te revelo é honesta como tudo o que já te revelei . Não te acuso , não te culpo , não te responsabilizo .

Nada me prometeste . E nessa ausência de promessas , percebo muito do que nunca foi verbalizado . E que eu falhei por vezes, em perceber ...


Nunca duvidarei do teu Amor , disso podes estar certo ...


O silêncio que aqui se fez durante este tempo foi o da minha própria ausência ... Da minha fuga às palavras que queria esconder dentro de mim . Do sentimento que de tão grande pode ferir irremediavelmente .

Volto agora . E voltarei a cada um dos lugares onde sempre gostei de ler sentimentos . Esperando que me perdoem a ausência ... Tinha de ser , tinha de acontecer .


Para ti, meu Amor , e mais uma vez , até já ...

5 comentários:

Monólogos.by.Paula disse...

Minha Querida Amiga,

Como é bom ter-te de volta!

Paula, não peças desculpa por uma situação em que não faz sentido existir culpa.

Sei exactamente tudo aquilo que me transmites. Não te esqueças que já passei por uma situação semelhante à tua e precisei de reagir da mesma maneira.

Quantas e quantas vezes já foste testemunha do meu afastamento de mim e de todos?!

Quantas e quantas vezes já foste testemunha das tuas palavras na minha boca?!

Quantas e quantas vezes já foste testemunha de todas as tuas interrogações elaboradas por mim?!

Linda, há momentos na vida em que a solidão e o silêncio são o "falso" remédio para aquilo que não tem cura - o Amor.

O Amor quando vivido da forma intensa, transparente e bonita como tu o vives, em que em cada palavra que leio interiorizo verdade, simplicidade e entrega, não me deixa margem para sequer ousar pensar, que te afastaste por afastar.

Sei o que digo, como também sei que entendes as minhas palavras.

Ao contrário de ti, tive a sorte de conseguir atenuar a dor e procurar um caminho diferente daquele que tanto desejei para mim, para nós.

Chorei muito...passei noites em claro...fugi de tudo e de todos...encontrei algumas respostas outras, não lhes cheguei.

Se esta dor me ajudou?! Sem dúvida!

Depois de toda a minha entrega, de toda a minha dedicação, de toda a minha exposição, cheguei a uma fase em que me obriguei a parar de vez.

Descobri que o caminho que estava a seguir, deixou de fazer sentido desde o momento em que me apercebi que caminhava com a sombra de alguém que me deu a mão, mas por medo não me correspondeu no amor.

Não te vou dizer que estou curada. Tenho os meu artifícios. Se tenho momentos em que não permito que ele entre em mim, outros tenho em que para ele me apetece correr. Não o faço. Nem de longe nem de perto. Não mereço mais viver na espera, nas incertezas, no "nim". Para mim chega!

Sei que nos encontramos em "lados opostos" e por esta razão as situações têm as suas diferenças.

No entanto, conheço de perto a tua linda história de amor, a tua dedicação, a dor por que passas.

Miga, não sorrio porque sei o que sentes, mas manter-me-ei SEMPRE, a teu lado.

Também tu fazes já parte da minha vida.

ADORO-TE, de coração.

Bjinho

Luciana disse...

a partir de uma encontrei a outra e que bom foi..
os vossos blogs sao lindos e emociantes...
força as duas..........mil beijos
revejo nas palavras um amor a que tb disse ate ja.............

Only me disse...

Bem...

Fiquei e ler este post a te ao fim sem tirar os olhos...e vejo.me em parte nas linhas que escreves...

O sil~encio por vezes é o nosso melhor amigo...mas...


Beijo Grande

por uma lágrima disse...

Senti a tua ausência como um afastamento forçado por qualquer circunstância, mas nunca imaginei que esta fosse a razão...
Impossivel ficar indiferente ao teu sofrimento.
Não tenho palavras...
Tenho um sentimento que chora por ti.
Beijo doce duma lágrima salgada

Monólogos.by.Paula disse...

Meu Doce,

Vim num pulinho apenas para te pedir que passes no meu canto e tragas tudo o que te pertence.

Estou sem tempo nenhum, domingo respondo-te ao mail. Tenho muito para te dizer.

Adoro-te Minha Linda.

Jinho repleto de carinho e força