sexta-feira, 13 de julho de 2007

Dizer Adeus ...


O titulo assusta... A possibilidade também ...

Olho para mim, sentada aqui , no fim de mais um dia , quieta e em silêncio . Fico muito tempo assim e o silêncio perdura ... Tentando encontrar soluções onde não as há... E sempre este maldito silêncio de uma ausência que só me fere . A tua ausência ...

Demasiadas vezes sinto a derrota . Mas depois sorrio e digo a mim própria com alguma ironia que a vitória também nunca foi possível e uma coisa anula a outra...
Mas tantas outras vezes, sei que o Amor que encontramos um no outro nunca me deixará só , será meu companheiro em todas as horas e todas as viagens. Para todo o lado o levarei porque a verdade com que nasceu e perdura é uma inevitabilidade. Perdê-lo seria perder metade do que sou, do que transparece de mim em cada frase , em cada silêncio, em cada gesto, em todos os meus momentos, mesmo os mais tristes.

Será que te dás conta desta inquietude em que fico quando me faltas ? Será que percebes o quanto necessito que a tua voz seja a última que ouço nos meus dias ? Será que percebes as questões que me assaltam quando o silêncio me assombra e tu não vens ?

Prometemos nunca dizer Adeus , tu e eu ... Mas sempre soubemos que essa palavra e o seu significado nos ronda como um pequeno mas presente fantasma que reside na nossa história .

Olho para mim , mais uma vez ... Vejo uma mulher , às vezes tão menina e frágil ... Este Amor deixa-me frágil e tudo o que queria era que me protegesses da tristeza , que me permitisses ser feliz nos teus braços , que me permitisses a esperança contra toda a lógica e toda a experiência...
Mas nada disso te peço , porque nada disso tu darás . Porque não podes ... Eu sei.

Contigo , sou completa . Encontrei em ti todas as palavras , gestos , emoções que procurei em alguém ... Encontrei o teu riso , as tuas mãos , o teu abraço , o teu olhar terno , o teu corpo , encontrei um sonho que namorei em mil sonhos durante tanto tempo . Encontrei o AMOR ... Como é que se deixa de ser completo depois de conhecer a plenitude ? Como ? ...

Mas o Amor e a permanência não vêm isentos do pagamento de uma factura muito alta: de uma solidão inexplicável quando duas pessoas se amam assim...

Olho para mim e sei como seria bom chegar ao fim de um dia e deixá-lo terminar nos teus braços ... Entrar numa casa e ser o teu sorriso a receber-me , com alegria numa história onde o Amor se misturou com uma fé infinita em Nós ...
Por vezes, os dias são tão longos , meu Amor ... E tu não vens para os tornar mais suaves ... Por vezes, estou cansada e tudo o que precisava era do teu abraço que sei que não terei .
Quando a noite chega devagar , o meu coração parte para ti , para Nós ... Sei que fazes o mesmo . Sei que somos dois loucos - tu vives uma história que não podes viver e eu , vivo uma história que não devo nem sei viver .
E fujo , meu Amor ... do silêncio . Para uma vida que não é esta, para uma realidade inexistente , mas tão desejada . A minha imaginação encontra-te entre o sonho de seres meu e todos os impossíveis que não posso sonhar ...
Pensas que eu não sonho, meu Amor ? Há dias , disse-te que essa palavra ficou interdita entre nós ... Mas tu és o meu sonho e assim permanecerás , não duvides .

Quando os meus olhos se fecham , por vezes húmidos , é por ti que chamo e é a ti que abraço docemente a noite inteira . Como se te pudesse acolher e proteger de tudo aquilo que tu não podes e não sabes fugir . Como se pudesse apagar com um só gesto tudo o que também a ti te atormenta ...
Levo-te pela minha mão todas as noites, para o universo dos sonhos perfeitos onde nos encontramos sempre... Conduzo os teus passos ao abrigo do meu corpo e do meu Amor imenso . E então , tu sabes que estás na nossa casa ... Apenas a minha imaginação a sussurrar o que seria perfeito...

Dizer Adeus ? ... Não , meu Amor ... certamente não saberei como fazê-lo ... Se algum dia tiver que encontrar outro caminho que não o nosso , dir-te-ei sempre " Até já " ...
Porque sempre te esperei e esperarei na vida .

Para sempre , meu Amor ...

Até já, meu Amor .

5 comentários:

por uma lágrima disse...

Foi num silêncio sepulcral que te li...
Impávida, fui ligando todas as sílabas...
Incrédula, absorvendo todas as palavras...
Muda, porque não consigo soletrar o que sinto...

Beijo com muito carinho

Scorpshine disse...

Olá querida...

Há muito que te visito, que te leio, que me revejo em ti, tu sabes bem,
mas se há coisas que o tempo não condenam aquilo que escreves é o perfeito exemplo, pois só fica melhor sem nunca se tornar repetitivo, em que por mais longo que seja, nunca é aborrecido.

Há coisas que não têm definição nem medição possível, e assim é a qualidade dos teus textos porque não se pode quantificar o peso de um sentimento e mesmo tentar medi-lo qualitativamente seria sempre tão incerto como a própria palavra em si.

Certo é que em cada palavra tua o meu coração chora uma lágrima que muitas vezes não as contém e chegam mesmo a ser vertidas pelos meus olhos...não pagaria um centimo para ler um livro de cerca de 90% dos autores famosos mas pagaria o que pedisses para ler um livro teu.

Beijo grande

És demasiado linda

sonhadora disse...

Desejo-te um bom domingo e deixo-te beijinhos embrulhados em abraços.

mitro disse...

Ela disse-me Adeus...

Ricardo Eller - Um novo COMEÇO disse...

O que leio de ti a dias, reflete exatamente o que vivo, tu escreves com a caneta de minhalma e dela escorre a tinta da minha história, tudo que viveste ou vives é muito semelhando ao que vivo hoje, a eterna desventura de amar e não tê-lo.. um bjo carinhoso pra ti..